Domingo de música e poesia - Homenagem a Chico Anysio

11 comentários
Estão participando as amigas:

Minha homenagem ao mestre do humor!
Mundo moderno ( Chico Anysio)


Mundo moderno, marco malévolo, mesclando mentiras, modificando maneiras, mascarando maracutaias, majestoso manicômio. Meu monólogo mostra mentiras, mazelas, misérias, massacres, miscigenação, morticínio – maior maldade mundial.

Madrugada, matuto magro, macrocéfalo, mastiga média morna. Monta matungo malhado munindo machado, martelo, mochila murcha, margeia mata maior. Manhãzinha, move moinho, moendo macaxeira, mandioca. Meio-dia mata marreco, manjar melhorzinho. Meia-noite, mima mulherzinha mimosa, Maria morena, momento maravilha, motivação mútua, mas monocórdia mesmice. Muitos migram, macilentos, maltrapilhos. Morarão modestamente, malocas metropolitanas, mocambos miseráveis. Menos moral, menos mantimentos, mais menosprezo. Metade morre.

Mundo maligno, misturando mendigos maltratados, menores metralhados, militares mandões, meretrizes, maratonas, mocinhas, meras meninas, mariposas mortificando-se moralmente, modestas moças maculadas, mercenárias mulheres marcadas. Mundo medíocre. Milionários montam mansões magníficas: melhor mármore, mobília mirabolante, máxima megalomania, mordomo, Mercedes, motorista, mãos… Magnatas manobrando milhões, mas maioria morre minguando. Moradia meia-água, menos, marquise.

Mundo maluco, máquina mortífera. Mundo moderno, melhore. Melhore mais, melhore muito, melhore mesmo. Merecemos. Maldito mundo moderno, mundinho merda.

Produção de texto

6 comentários

A maioria das crianças tem dificuldade para escrever e cabe ao professor buscar estímulos para isso. É preciso motivá-las. Crianças não gostam de escrever por escrever, gostam de ter uma razão para tal atividade, ou seja, seu texto precisa ter um público e um objetivo. 
Organizar um Semanário com a sala pode ser uma alternativa para que eles comecem a escrever e ainda falem sobre seus sentimentos e inseguranças. Essa mesma atividade você estimula que o aluno leia para os outros e aos poucos irão corrigindo tom de voz, entonação e ritmo de leitura. Incentive o aluno a praticar a apresentação de seu semanário em casa para se sair melhor na sala de aula.
Explique para turma o objetivo do caderno e a relação com o nome diário. Deixe que os alunos decorem o caderno. Apresente sugestões com sucata, E.V.A, tintas, tecidos e outros para que cada um personalize seu caderno como achar mais conveniente.  Neste caderno os alunos poderão registrar descobertas da sua personalidade, atitudes que tiveram durante a semana dignas de cumprimentos ou de censura. Um dia da semana você pode organizar uma leitura compartilhada dos semanários e avaliar a participação da turma.

Modelo sugerido


E ainda detalhes como:

Imagem da Semana: Pode ser com foto do aluno, uma ilustração  ou recorte de revistas.
Palavra da semana: Os alunos deverão escolher uma palavra para descrever o sentimento que mais predominou na semana e ilustrar essa palavra com recortes de revistas ou desenhos para apresentar na sala.



Lembrancinha de Páscoa - Marcadores de Livros de Coelhinho

12 comentários

Bem fácil de fazer e a criançada adora, também dá pra fazer de ponteira de lápis.
Corte três corações de E.V.A , depois corte dois deles ao meio, que serão as patinhas e as orelhas. 



 Agora é só montar.


Outras sugestões:

Domingo de música e poesia- Stronger

6 comentários
Estão participando as amigas:




Há alguns dias a amiga Aline do blog TRIBARTE me dedicou esta música em uma de suas postagens, a letra mexeu muito comigo, principalmente o trecho "O que não te mata te faz mais forte (...) te faz um guerreiro. Te faz dar passos mais leves."


O que não te mata, te faz mais forte
Te faz sentir maior
Não significa que estou só quando estou sozinha
O que não te mata, te faz um guerreiro
Te faz dar passos mais leves
Não significa que estou destruída só porque você se foi

O que não te mata, te faz mais forte, forte
Somente eu, eu mesma e eu
O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir maior
Não significa que estou só quando estou sozinha

Graças a você eu tenho começado algo novo
Graças a você eu não sou a do coração partido
Graças a você finalmente eu estou pensando mais em mim
Sabe, no fim, o dia que você se foi, era apenas o meu começo
No fim...


 
 Bom domingo a todos e uma semana linda!

Domingo Cultural: Rosas para as mulheres!

16 comentários
 Estão participando do Domingo Cultural as amigas:


Dedico a música e as rosas a todas mulheres,
afinal, março é o nosso mês. 

Trecho da música: Rosas (Ana Carolina)

Toda mulher gosta de rosas
E rosas e rosas
Muitas vezes são vermelhas
Mas sempre são rosas...

Você pode me ver
Do jeito que quiser
Eu não vou fazer esforço
Prá te contrariar
De tantas mil maneiras
Que eu posso ser
Estou certa que uma delas
Vai te agradar...

Alfabeto de ursinhos para colorir

5 comentários










Números para decorar sala de aula

5 comentários









Domingo Cultural: "Peraltagens" de Manoel de Barros.

10 comentários
Estão participando do domingo cultural as amigas:


Ilustrações do livro com bordados das irmãs do autor.
Tenho um livro sobre águas e meninos.
Gostei mais de um menino
que carregava água na peneira.

A mãe disse que carregar água na peneira
era o mesmo que roubar um vento e sair
correndo com ele para mostrar aos irmãos.

A mãe disse que era o mesmo que
catar espinhos na água
O mesmo que criar peixes no bolso.

O menino era ligado em despropósitos.
Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.
A mãe reparou que o menino
gostava mais do vazio
do que do cheio.
Falava que os vazios são maiores
e até infinitos.

Com o tempo aquele menino
que era cismado e esquisito

porque gostava de carregar água na peneira

Com o tempo descobriu que escrever seria
o mesmo que carregar água na peneira.
No escrever o menino viu
que era capaz de ser
noviça, monge ou mendigo
ao mesmo tempo.

O menino aprendeu a usar as palavras.
Viu que podia fazer peraltagens com as palavras.
E começou a fazer peraltagens.

Foi capaz de interromper o vôo de um pássaro
botando ponto final na frase.

Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.

O menino fazia prodígios.
Até fez uma pedra dar flor!
A mãe reparava o menino com ternura.


A mãe falou:
Meu filho você vai ser poeta.
Você vai carregar água na peneira a vida toda.

Você vai encher os
vazios com as suas
peraltagens
e algumas pessoas
vão te amar por seus
despropósitos.
(Manoel de Barros)

O conto-poesia "O menino que carregava água na peneira" está no livro "Execícios de ser Criança" do escritor Manoel de Barros. 
O menino Manoel cresceu no Pantanal, onde "aprendeu a ver com olhos de pássaro" e hoje ainda menino, embora com 96 anos, conta suas memórias de maneira leve, encantadora, bela e instigante. Sua poesia é prazerosa para os pequenos e reflexiva para os adultos, que muitas vezes deixa de lado os detalhes da vida em prol de algo que julga maior e mais importante.

"Passava os dias ali, quieto, no meio das coisas miúdas.
E me encantei."
"Poesia é voar fora da asa"  (Manoel de Barros)


Quer ouvir algumas poesias do poeta Manoel de Barros?

Higiene: Saúde Bucal

12 comentários
Trouxe essa poesia do blog Menina Voadora, da amiga Anne Liere.

Li para meus alunos e foi muito bom. Discutimos higiene bucal e o medo do dentista.

Sugestões de atividades:


Sugestão livrinho:
Pedir que os alunos faça os desenhos ou colagem com cada parte do livrinho.




Sugestão de vídeo: